Educação em Saúde Bucal

Postado em 29 de julho de 2015 por Ronald Fagundes Figueira Pinho

Educação em Saúde Bucal
Compartilhe:
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Ação. Esta é a palavra que proporciona a verdadeira educação em saúde bucal. A educação sempre deve estar acompanhada de ação. Este artigo não tem a finalidade de discutir políticas públicas ou a evolução da educação em saúde bucal no Brasil. Tenho consciência da existência de muitos materiais ricos que abordam este assuntos de forma impecável. O meu desejo é que este artigo sirva como um guia prático de ações que você poderá implementar em sua vida e seu trabalho para que você consiga realmente mudar a vida de outras pessoas através da educação em saúde bucal. Não importa sua escolaridade, seu cargo ou seus títulos. Aqui você terá conhecimento para realizar ações desde as mais simples até o desenvolvimento de programas mais complexos envolvendo equipes de trabalho. Você precisa ter consciência de que para educar pessoas sobre a importância dos dentes e da saúde bucal como um todo é preciso ter muita perseverança. Este não é um trabalho que pode ser feito de maneira pontual. Por favor, não confunda educação em saúde bucal com assistencialismo, apesar de que existem muitas ações de saúde voltadas para populações que vivem em condições sanitárias muito precárias. A educação em saúde deve ser transmitida para todas as pessoas.

Para te auxiliar em seu objetivo de promover seu projeto de saúde bucal, elaborei um guia abaixo com a sequência das informações necessárias para que você consiga planejar e executar seu projeto de forma simples e clara. A primeira parte é a escolha de seu público-alvo. O público escolhido terá total importância na definição de que tipo de ação será realizada. Cada tipo de público possui necessidades específicas que devem ser abordadas de maneira personalizada. Irei abordar também sobre estratégias e fatores motivacionais para que você alcance os objetivos estabelecidos sobre prevenção de doenças ou promoção de saúde.

A escolha do público que receberá educação em saúde bucal  

Essa é uma definição muito importante. Você precisa saber quem será alcançado pela sua ação. Abaixo você poderá observar uma lista de possíveis grupos de pessoas que você poderá trabalhar. Eu poderia citar outras categorias mas neste artigo vamos explorar estes grupos de pessoas que englobam a maior parte da população.

– Idosos

Idosos precisam de educação em Saúde Bucal

A expectativa de vida no Brasil tem crescido e as pessoas estão vivendo mais. A geração atual que está na faixa acima de 65 anos apresenta graves problemas bucais. Essas pessoas apresentam em muitos casos edentulismo total, ou seja, não possuem dentes e dependem exclusivamente de próteses dentárias para conseguirem se alimentar. Outros podem ter ainda seus dentes, mas é muito comum observarmos problemas gengivais graves. Ensinar aos idosos técnicas simples de higiene bucal ou até mesmo maneiras de conservar suas próteses dentárias de forma mais higiênica pode representar não apenas um ganho na saúde como também proporcionar um bem-estar e resgatar a auto-estima muitas vezes perdida devido às dificuldades que o envelhecimento proporciona. Este é um grupo de pessoas que merecem muita atenção e precisam de educação em saúde.

-Gestantes

Gestantes precisam aprender sobre educação em saúde bucal

Este é um grupo de alto risco para desenvolver problemas bucais. O período da gravidez envolve diversas preocupações e alterações hormonais e corporais. Atualmente é muito comum lidar com gestantes cada vez mais jovens, muitas ainda na pré-adolescência. O acompanhamento odontológico durante a gravidez é muito importante e as atividades educativas podem prevenir o desenvolvimento de doenças.

-Mães

Mães aprendem sobre educação em saúde bucal

As mães possuem muitas dúvidas sobre os cuidados que precisam ter com seus filhos. Muitas não tem informação sobre o período que erupção dos dentes do bebê e não sabem como cuidar da higiene bucal de seus filhos. Um trabalho bem desenvolvido pode contribuir de maneira positiva para o crescimento de crianças desde que as mães tenham consciência da importância de cuidar dos dentes de seus filhos desde cedo.

-Adolescentes

Adolescentes precisam muito entender sobre educação em saúde bucal

Este é um grupo que muitas pessoas não gostam de dar atenção. Possuem personalidade forte, são inclinados a ter atitudes exageradas, porém são pessoas que estão numa fase muito difícil de transição da infância para a fase adulta. Um desafio atual sobre o universo adolescente está relacionado ao tratamento ortodôntico que para muitos deles usar um aparelho significa estar na moda e muitos acabam utilizando o aparelho ortodôntico de uma forma que gera prejuízos reais para a saúde sem o acompanhamento de um profissional. Gerar conscientização nos adolescentes quanto a sua saúde bucal pode trazer grandes benefícios para que eles consigam manter seus dentes durante toda a vida.

-Famílias

Famílias tem que receber educação em saúde bucal

Incentivar ações de saúde na família é um caminho que pode gerar ótimos resultados práticos. Quando todos os membros de uma família mobilizam-se para uma causa fica mais fácil de alcançar os objetivos propostos, ou seja, se o propósito é melhorar a qualidade da saúde bucal de uma família e todos passam a ter consciência da importância que isso terá para ela, o resultado será potencializado pois haverá um incentivo mútuo dentro de casa para cumprir esta finalidade. Os pais irão ajudar e fiscalizar os filhos e terão que se tornar exemplos para eles. Esta é apenas uma dentre outras oportunidades que se pode conseguir fazendo um trabalho de educação em saúde bucal com uma ou várias famílias.

-Crianças

Crianças são um público que precisa muita instrução e educação em saúde bucal

As crianças sem dúvida fazem parte do grupo que recebe os maiores incentivos relacionados à educação em saúde bucal. A preocupação dos pais em ajudar a criança a desenvolver bons hábitos e as ações realizadas em escolas demonstram que existe uma grande preocupação com a saúde bucal infantil. A variedade de maneiras de conduzir um trabalho com crianças é um fator positivo. O cuidado nesta fase é crucial para que a criança possa se desenvolver com dentes fortes e saudáveis.

-Adultos

Adultos, Educação em Saúde Bucal

Este talvez seja o grupo mais negligenciado dentre todos os que foram citados. Principalmente os adultos do gênero masculino. É muito raro de se observar ações educativas e de conscientização para adultos. Adultos que possuem problemas bucais estão propensos a ter seu rendimento reduzido no trabalho. Dificuldades para mastigar ou problemas estéticos podem gerar desconforto. Ensinar aos adultos que a preocupação com a saúde bucal e fazer visitas periódicas ao consultório odontológico são importantes pode ser fundamental para melhorar a qualidade de vida dessas pessoas.

 

Objetivos da Educação em Saúde em Bucal

A saúde já foi conceituada como o estado físico que representava a ausência de doenças. O conceito atual de saúde é mais amplo e engloba o bem-estar e qualidade de vida como fatores que fazem parte da saúde. A capacitação de pessoas ou grupos populacionais para atingirem qualidade se vida é objetivo que se deve almejar para promover saúde. A prevenção de doenças também está intimamente relacionada neste conceito. Não há qualidade de vida plena numa população que está exposta a fatores que podem causar doenças ou com falta de recursos básicos para tomar atitudes preventivas.

O objetivo principal quanto à prevenção de doenças bucais é gerar através de ações educativas a conscientização na população que as ações individuais de higiene bucal podem evitar a ocorrência da cárie e da doença periodontal. Estas são as doenças bucais que acometem a maioria das pessoas e se não forem tratadas podem iniciar um processo de modificações permanentes nos dentes e nos tecidos de suporte dentário. Essas doenças tem o potencial inclusive de levar pessoas a perderem seus dentes.

Para promover saúde bucal existem iniciativas governamentais como a fluoretação das águas. Esta medida tem grande valor para reduzir o índice de cárie na população. Mas o principal fator responsável por promover saúde bucal é a educação e conscientização das pessoas. Ensinar boas práticas de higiene bucal e torná-las um hábito na vida das pessoas é o principal aspecto transformador. A saúde precisa ser preservada diariamente e apenas com bons hábitos é possível chegar a este resultado.

O objetivo da educação em saúde bucal é transformar vidas. É preciso contribuir de forma significativa para conseguir mudar as atitudes das pessoas. Hoje existem recursos e informações suficientes para conseguir impactar a vida de pessoas. A educação em saúde bucal não deve ser feita apenas no consultório odontológico, na maioria das vezes as pessoas chegam até o consultório por não terem tido a instrução correta e acabaram desenvolvendo doenças.

Agora que você já conhece os públicos que podem ser trabalhados para realizar ações de saúde bucal e sabe os objetivos das ações em saúde bucal. É o momento de conhecer as estratégias que irão te auxiliar a promover saúde bucal de maneira eficiente. As estratégias são ferramentas valiosas para facilitar o processo de implementação de um programa de educação em saúde bucal, mas para dar certo é preciso ter muita dedicação e perseverança para atingir seus objetivos. Não crie metas impossíveis de serem alcançadas ou expectativas irreais. Não espere que outros tenham a mesma dedicação que você, mas procure por pessoas engajadas no mesmo objetivo. Talvez a primeira estratégia que você tente possa não dar certo, procure adequar a sua estratégia ao público que você deseja alcançar, estabeleça uma boa comunicação. Por mais que seu objetivo seja o de alcançar muitas pessoas, comece com poucas ou comece em sua própria casa, assim você irá perceber que a jornada não é tão fácil. Mas não desanime, seja perseverante, faça tentativas, analise o que foi positivo e o que foi negativo. Corrija seus erros constantemente e não se puna por tê-los cometido, erros fazem parte dessa jornada.

Estratégias de Educação em Saúde Bucal  

Logo abaixo criei uma lista com estratégias de educação em saúde bucal. Existem algumas que são mais simples e outras mais elaboradas. Procure fazer aquela que acredita que possui capacidade de iniciar, executar e concluir. Se você não possui todos os recursos ou habilidades procure criar uma equipe de trabalho ou associe-se a projetos ou equipes que já atuem nestas ações ações educativas. Pode ser um excelente aprendizado para você.

 -Planejamento

O planejamento é o primeiro passo para que você possa definir metas e objetivos claros. A definição do público como já foi abordada anteriormente é muito importante pra a definição de sua estratégia de trabalho. A sua abordagem será diferente de acordo com o público escolhido. Defina o orçamento disponível para seu projeto e também como será a captação de recursos. Os recursos podem ser próprios, podem vir de doações ou este recurso pode até já estar disponível dentro da empresa, escola ou unidade de saúde que você trabalha. É muito importante definir a frequência de suas ações. Elas podem podem ser diárias, semanais, quinzenais, mensais, bimestrais, etc. Depende muito do tipo de ação que será realizada e do tempo que você tem disponível. O mais importante é estabelecer compromissos que você tenha capacidade de cumprir sem deixar de cumprir suas obrigações cotidianas. Tenha muito cuidado ao planejar as atividades, estabeleça objetivos a curto, médio e longo prazo.

Veja agora as ações práticas que você poderá praticar para disseminar o conhecimento em educação em saúde bucal.

-Palestras

Palestras são uma ótima forma de passar seu conhecimento para outras pessoas. Acredito que as palestras tenham um resultado melhor para adultos que possuem uma capacidade de concentração maior para esta forma de transmitir informações. Palestras podem funcionar muito bem para mães, gestantes, famílias (neste caso especificamente os pais), adultos e idosos. O tempo de duração das palestras deve ser feito de acordo com a disponibilidade que você possui, mas de maneira geral deve ser realizada entre 25 minutos e 1 hora. As palestram preferencialmente devem conter elementos visuais para facilitar a compreensão do público. Se você não possuir recursos sofisticados, utilize cartolina e coloque imagens que possam te auxiliar na ilustração de situações pertinentes ao assunto abordado na palestra. Não deixe de realizar o seu propósito por falta de recursos tecnológicos. A mensagem deve ser passada por você estes recursos são apenas complementos. Mas procure se preparar bem e faça tudo com excelência para impactar as pessoas e gerar mudanças reais de atitude. As palestras podem ser realizadas em qualquer lugar que tenha a capacidade de comportar pessoas como salas de aula de uma escola, associações e unidades de saúde. Em unidades de saúde principalmente uma boa estratégia é a realização de palestras no momento de pré-atendimento, sabemos que existe uma grande demanda por serviços de saúde e muitas vezes o tempo de espera por atendimento pode ser prolongado. Realizar palestras neste momento pode ser uma ótima forma de otimizar o tempo oferecendo um serviço de qualidade para a população.

Palestras realizadas nas escolas podem ser feitas para os pais de alunos com a finalidade de conscientizá-los da necessidade de cuidarem melhor de seus filhos e também podem ser feitos trabalhos voltados aos professores e colaboradores da escola para que estes possam também contribuir com os alunos, principalmente as crianças que muitas vezes estudam em horário integral, alimentam-se na própria escola ou creche e algumas vezes são negligenciados quanto aos cuidados com a saúde bucal.

Palestras para mães e gestantes também podem gerar excelentes resultados, independente do local em que isso seja proposto. As atividades educativas para mulheres que esperam um filho ou já tem um filho pequeno são de extrema importância para desenvolver os conhecimentos necessários para que as mães consigam cuidar de seus filhos adequadamente.

Para a realização das palestras é muito importante que tenha conhecimento correto sobre o que será falado. Se você não possui conhecimento, convide alguém que possa abordar o tema com propriedade. Não fale sobre temas que possui dificuldades. A intenção da palestra é informar as pessoas e não confundi-las.

-Materiais Impressos

Materiais impressos como folhetos, apostilas e manuais  são muito interessantes para fornecer ao público. Porém, estes materiais costumam demandar um custo de produção maior. Isso precisa ser bem avaliado antes de se realizar. Se você tem poucos recursos e deseja desenvolver algum projeto de educação em saúde bucal para crianças é possível encontrar facilmente em pesquisas no Google, alguns materiais educativos para colorir por exemplo. Uma outra outra forma que possui um custo baixo de produção e que pode cumprir uma finalidade informativa é imprimir pequenos textos alertando sobre algum tipo de doença bucal ou instruindo sobre formas de fazer uma boa higiene oral. Materiais impressos podem contribuir para facilitar a compreensão de algumas pessoas e podem ter um alcance maior que uma palestra em que o conhecimento fica restrito apenas ao grupo de pessoas que puderem assistir. No caso de um folheto ou um pequeno manual, o mesmo pode ser visto por muitas pessoas em diversos momentos. Não aconselho fazer qualquer tipo de panfletagem externa com este tipo de material, é importante que apenas pessoas realmente engajadas tenham acesso a ele. Se fizer uma ação de panfletagem você correrá um grande risco da maioria das pessoas nem sequer ler e para piorar podem jogar o seu folheto em qualquer lugar sujando as ruas de sua cidade. A abordagem para educação em saúde deve ser mais pessoal, não queira atingir grandes massas populacionais sem gerar relacionamento.

-Vídeos

Os vídeos são uma ótima maneira de ilustrar situações e ensinar algo de maneira enriquecida. Os estímulos audiovisuais prendem a atenção e podem ser um ótimo veículo para ensinar como funciona cavidade bucal e como cuidar dos dentes de maneira correta.

-Teatro 

Assim como os vídeos o teatro também é uma excelente alternativa para se obter a atenção das pessoas. Fazer peças teatrais para ensinar os conceitos de saúde bucal para crianças é uma alternativa muito válida. Essas apresentações devem ser feitas forma lúdica e utilizando um vocabulário que a criança tenha capacidade de compreender. A criatividade é imprescindível para este tipo de atividade. Demonstrações sobre escovação dos dentes também podem ser interessantes para as crianças.

-Demonstrações

Atividades demonstrativas sobre como realizar a correta escovação dos dentes, o uso do fio dental, a forma ideal se se escovar os dentes com aparelho ortodôntico e até mesmo como limpar uma prótese dentária podem ser ser feitos para facilitar o aprendizado de seu público sobre como manter a saúde bucal. Toda atividade que gere envolvimento e interação entre você e as pessoas tende a ter sucesso, gerando um engajamento maior das pessoas para que elas realizem a atitude desejada. Nas demonstrações se for possível convide pessoas do público para participarem da atividade junto com você. Desperte a curiosidade das pessoas para que elas tenham vontade de aprender.

Frequência das atividades de educação em saúde bucal

Uma das partes mais importantes do planejamento é a agenda das atividades propostas. Para se conseguir melhores resultados é indicado que exista uma regularidade nas ações propostas. A grande maioria das pessoas costuma realizar atividades intensivas com duração de 2 a 5 dias seguidos, chamando geralmente este período de “Semana da Saúde Bucal”. Mas o ano possui 52 semanas e na grande maioria das vezes não há qualquer tipo de estímulo nas outras semanas do ano. Acredito que atividades intensivas possuem a sua importância e eu mesmo já participei de muitas atividades deste tipo. Porém para alcançar resultados efetivos em promoção de saúde bucal eu creio que este trabalho deva ser realizado com uma periodicidade mais consistente. As limitações de tempo e recursos são fatores que podem prejudicar, mas um bom planejamento e um objetivo claro podem contribuir para o bom desenvolvimento.

Se você não tem condições de fazer um projeto complexo, comece de forma simples. Seja de forma anual, semestral, mensal, semanal, o que importa é conseguir realizar algo que possa ser relevante para a sociedade. Não se comprometa com situações que de antemão tem certeza de que não pode cumprir. Mas procure desenvolver este projeto de acordo com sua capacidade e seu tempo disponível.

Se o seu ambiente de trabalho te proporciona um contato diário com algum grupo populacional, como alunos de escola, por exemplo, procure fazer pequenas ações que estimulem o cuidado com a higiene bucal. Lembre aos alunos que eles devem escovar os dentes. Se o seu ambiente é uma unidade de saúde, tente fazer palestras semanais para idosos ou gestantes.

Essas atividades propostas podem ser realizadas de maneira individual ou em grupo. É muito importante sempre ter o amparo de um Cirurgião-Dentista para realizar o planejamento das ações e até mesmo a execução de algumas ações educativas para elevar a qualidade do conhecimento da população sobre os cuidados com a saúde bucal.

Gostou do artigo? A sua opinião é muito importante para mim. Você tem experiência com educação em saúde bucal? Já participou de algum projeto? Compartilhe sua experiência nos comentários, você pode contribuir com outras pessoas que desejam iniciar um novo projeto ou até mesmo que já participam de algum programa de educação em saúde.

 

 

 

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.
Compartilhe:

2 Comentários em “Educação em Saúde Bucal

  1. Rose Maria Peralta Guilherme disse:

    Parabéns Doutor,
    Gostei do que escreveu das suas orientações. Estou utilizando para elaborar uma teleconsultoria!
    AbraSUS

    1. Ronald Pinho disse:

      Olá Rose! Fico feliz que este artigo tenha lhe ajudado. Sucesso em seu novo projeto! Um abraço.

Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2017 RMA Odontologia. Todos os direitos reservados.
Site desenvolvido por Comersite